Top 10 – As cidades mais caras do mundo

julho 18, 2011 Postado por
DirectPositive - capa

Foto Destaque: Direct Positive/Flickr

Um ranking com as cidades mais caras para se viver foi divulgado recentemente pela Mercer, uma das maiores empresas de consultoria, outsourcing e investimentos do mundo.  Os resultados colocaram cidades brasileiras à frente de Londres (18º) e Paris (27º). São Paulo ficou dentro do top 10, em 10º lugar, e o Rio de Janeiro subiu 17 posições para ficar em 12º.

O valor do custo de vida nas cidades pode variar de acordo com diversos fatores, entre eles desastres naturais, câmbio favorável para o país e até a expectativa da Copa do Mundo, no caso do Rio de Janeiro. As cidades mais caras se concentram na Europa, Ásia e África.

O custo de vida do local está diretamente ligado ao preço da viagem, especialmente em estadias mais longas. Em cidades mais caras, os turistas acabam pagando mais pela alimentação, pelo transporte e até por passeios. Mas, felizmente, a diferença não costuma ser muito grande e ainda depende das cotações das moedas, que podem amenizar os preços para os brasileiros em alguns países.

1- Luanda (Angola)

Capital e maior cidade da Angola, Luanda é famosa pela produção do café Robusta. Os turistas podem visitar plantações e provar a bebida em um dos restaurantes da cidade.

 

A cidade de Luana lidera o ranking de custo de vida. Foto: Syder Ross/Flickr

Luanda fica entre as nascentes dos rios Bango e Cuanza e possui uma barreira que a protege do mar, conhecida como A Ilha, uma faixa de terra estreita.

Luanda possui ao mesmo tempo grandes favelas, as Musseques, e regiões ricas, com hotéis de luxo, uma vida noturna agitada e uma economia que cresce sem parar. Entre os contrastes, os turistas conhecem uma cidade culturalmente rica e surpreendente, com lindas praias, muitas ainda não exploradas, e um artesanato interessante, cujo símbolo máximo é o mercado Benfica.

2- Tóquio (Japão)

São raras as pessoas que não admiram a cultura japonesa, seja pela comida, pelos simbolismos, desenhos ou itens tecnológicos, entre outros. E não há lugar melhor para apreciar toda a riqueza desse povo do que Tóquio.

 

Uma vista aérea da cidade de Tóquio, a segunda da lista. Foto: Ariel Martini/Flickr

Repleta de luzes e ruas caóticas, a cidade não para. O maior obstáculo para os turistas é a língua – problema que é contornado pela educação e cordialidade do povo japonês. Mesmo com um inglês precário, os moradores fazem de tudo para ajudar e receber bem os visitantes.

Nas ruas do bairro Shibuya, os turistas podem encontrar diversos itens com preços bem acessíveis. No Harajuku estão as melhores lojas de roupas e assessórios, com peças exclusivas e algumas raridades. Os restaurantes também são uma das principais atrações de Tóquio.
Amada no mundo todo, a culinária japonesa é bem variada. Os turistas podem experimentar uma infinidade de pratos, muitos deles baseados em frutos do mar.

3- N’Djamena (Chade)

A N’Djamena é a capital do Chade, um país central da África. Fundada em 1900, hoje a cidade às margens do Rio Chari tem cerca de 900 mil habitantes.

 

Com influência dos colonizadores franceses, a cidade foi uma das mais bonitas da região até ser destruída por uma guerra civil na metade do século. Hoje ela recupera sua beleza e sua cultura, conservado os mais tradicionais costumes africanos. Repleta de mercados, apresentações típicas e peças inigualáveis de artesanato, N’Djamena é um importante centro comercial, que se destaca pelo porto e pela produção de carnes. O elevado custo de vida se deve, principalmente, aos conflitos civis que ainda acontecem na região.

4- Moscou (Rússia)

Moscou é conhecida pela sua rica história, a beleza arquitetônica de suas construções milenares e pelos rigorosos invernos que conferem uma paisagem bem característica à Rússia.

Este é um dos sete prédios chamados Vysotki ou Stalinskie Vysotk. Edificados entre 1947 e 1953, estes edifícios foram construídos no estilo stalinista, uma mistura de Barroco Russo e o estilo Gótico. Foto: _Tophee_/Flickr

A cidade é uma verdadeira mistura de realidades, com uma desigualdade social visível, prédios modernos e imponentes construções históricas, um verão alegre e colorido e um inverno coberto pela neve abundante.

A língua dificulta um pouco a circulação dos turistas; nem todos os locais de interesse possuem informações em inglês. Mas a cidade possui museus formidáveis, grandes espetáculos de dança e música e uma vida noturna agitada. Não faltam atividades para quem quiser se aventurar por Moscou. Com atrações um pouco caras, a dica para quem visita a cidade é priorizar os passeios mais interessantes.

5- Genebra (Suíça)

Localizada aos pés dos Alpes, Genebra está no vale do rio Rhône. O lago Léman e o Mont Blanc, pico mais alto da Europa, completam a paisagem estonteante dessa cidade europeia.

 

Genebra abriga mais de 200 organizações mundiais. Foto: MondoPiccolo/Flickr

Por estar geograficamente isolada, Genebra é praticamente uma cidade-estado, base para mais de 250 organizações internacionais, entre elas a Cruz Vermelha, Nações Unidas e Organização Mundial da Saúde. A cidade já foi lar de importantes personagens da história, como Voltaire, Rousseau e Byron, e ainda hoje preserva com maestria sua história e sua cultura.

A arquitetura e a culinária são fortemente influenciadas pelos franceses. A cidade conta com ótimos restaurantes, lindos parques e museus.

6- Osaka (Japão)

Outra importante cidade japonesa, a segunda maior do país, Osaka tem uma economia que se apoia no mar. A cidade é cortada por diversos rios e canais, que conferem uma paisagem única.

 

Osaka é conhecida também como a Veneza Japonesa, por causa dos canais que cortam a cidade. Foto: Slick Vic/Flickr

Osaka possui um dos maiores aquários do mundo, especializado em espécies marinhas, além de templos centenários e vários observatórios. Outro destaque são os restaurantes com a típica comida japonesa e os bairros de compras, onde são vendidos variados itens a bons preços.

7- Zurique (Suíça)

Zurique ainda preserva grande parte de suas construções do século XIX, que lhe conferem um charme irresistível. A maior cidade da Suíça tem sua paisagem composta pelo Lago Zurique e pelas montanhas dos Alpes. Apesar de seu tamanho, a cidade pode ser visitada a pé, uma mão na roda para os turistas.

 

Zurique possui uma região moderna e uma medieval, que reúne a maioria dos pontos turísticos. Russ Bowling/Flickr

 

O Rio Limmat corta a cidade e desagua no lago. Por ele passam as pontes que ligam a parte mais moderna da cidade, onde estão os centros financeiro e comercial, à parte medieval, repleta de construções históricas, que abriga a maioria dos pontos turísticos. As ruas da parte antiga da cidade são uma atração por si só; estreitas e repletas de casarões, igrejas, fontes e parques.

Zurique também figura em momentos importantes da história, tendo sido lar de Lênin e de James Joyce, quando escrevia o livro Ulysses.

8- Singapura (Singapura)

Singapura é uma cidade-estado, ocupando todo o território do país Singapura. Com cerca de cinco milhões de habitantes, a cidade é uma das mais limpas do mundo e se destaca na exportação de aparelhos eletrônicos.

 

Singapura é o lar de diversos povos, possuindo uma grande diversidade cultural. Foto: Danorbit/Flickr

Uma das mais importantes atrações turísticas do local é a Chinatown, uma imensa comunidade chinesa com templos e comércio variado. As praias, museus e aquários da cidade também são muito procurados pelos visitantes.

Com uma mistura das culturas chinesa, muçulmana, indiana, malaia e até europeia, Cingapura é um ótimo destino para quem busca uma verdadeira experiência cultural.

9- Hong Kong (China)

Hong Kong, assim como Nova York, é uma cidade cosmopolita, que reúne empresas e pessoas de várias nacionalidades. Com um centro financeiro em constante crescimento, Hong Kong tem sua paisagem formada por arranha-céus, grandes empresas, lojas de grife e restaurantes renomados.

 

Hong Kong tem uma das economias que mais crescem no mundo. Foto: FrankartCulinary HK/Flickr

 

A cidade mistura o antigo e o moderno de uma maneira encantadora. Nas ruas, os bondes dividem seu espaço com um dos metrôs mais modernos do mundo. Construções históricas e prédios recentes podem ser vistos lado a lado.

Com cerca de 20 milhões de visitantes todos os anos, Hong Kong tem investido cada vez mais em turismo. Mas a maioria dos turistas ainda visita a cidade pelas compras – produtos de boa qualidade podem ser encontrados por preços acessíveis.

10- São Paulo (Brasil)

Uma das principais cidades brasileiras é também um importante centro cultural, que reúne uma imensa variedade de shows, teatros, apresentações de dança, exposições, museus, entre outros. Quem visita São Paulo certamente não fica sem opções de atividades.

 

São Paulo é uma das cidades mais importantes do Brasil. Foto: Luiz Henrique Assunção/Flickr

Apesar do alto custo de vida, a cidade tem como vantagem um grande leque de opções para os visitantes. Quem quer fugir dos restaurantes caros pode optar pelas refeições servidas no Mercado Municipal ou pelos lanches da Liberdade, bairro que reúne os imigrantes e descendentes japoneses da cidade. Quem optar por deixar os caros shows e teatros de lado, pode visitar locais com entrada gratuita ou bem em conta, como o Museu do Ipiranga ou a Catedral da Sé. As opções de hospedagem também são variadas. Os turistas podem optar por hotéis em conta e bem localizados, ou hotéis de luxo, que oferecem uma estrutura completa aos seus hóspedes.

 

E você, o que achou dessa lista? Deixe seu comentário!

Esse post foi escrito para o Blog da MalaPronta.com, hotéis no Brasil e no Mundo pelo menor preço!

Mariana Ohde
Mariana Ohde

Mariana é jornalista e cursa pós-graduação em marketing digital. Ela tem grande interesse por mídias sociais, pelas áreas de turismo, intercâmbio e educação internacional. Ama viajar, conhecer pessoas e culturas diferentes. Gosta de fotografia, música, natação, cinema, literatura e é colaboradora do Blog da MalaPronta.com.

Comentários

Comente via Facebook
Comente via InteseDebate (4)

4 respostas para “Top 10 – As cidades mais caras do mundo”

  1. Wilson Mascarenhas disse:

    Concordo com Maria Medeiros. Sou baiano de Salvador, atualmente morando no piemonte da chapada diamantina, e todos os anos veraneio com minha família no litoral norte de Salvador, que, conhecendo lugares belíssimos fora do Brasil, como conheço, não troco por nenhum lugar do mundo. A Bahia é boa, bonita, barata e acolhedora, além de na sua diversidade territorial abrigar recantos paradisíacos.
    Wilson Mascarenhas

  2. Maria Cristina disse:

    Olá Mariana, muito bacana seu trabalho, que tal publicar um trabalho sobre as cidades mais baratas do mundo?

    Abraço,

    Cristina

  3. Maria Medeiros disse:

    Alô realmente a minha cidade de Luanda, é sem dúvida nenhuma a mais cara do Mundo e sinceramente tenho muita pena da maioria do povo Angolano que não tem poder de compra e passa por diversas necessidades.
    É triste que isso aconteça pois quando quisemos a nossa independência foi para que tudo fosse mais fácil, mas não é. Eu mesma e meu marido regressamos a Luanda em 2007 com ideias de lá ficar, mas regressamos a Portugal em 2009, mesmo a ganhar muito dinheiro como levamos connosco dois netos de 15 anos não conseguimos suportar o custo de vida. A renda da casa era de 3 000 USD e ia passar para 4 000, enfim fico com pena mas não dá. Agora as minhas férias são na Bahía que em tudo me lembra Angola e onde o custo de vida é dos mais baixos que conheço.
    Maria Medeiros

  4. Giulliana disse:

    E eu tomei uma coca que saiu R$10,00 tb em Guarulhos.

Deixe uma resposta